A apreciação crítica


A apreciação crítica
Aula
13
|
Áreas de Conhecimento

Oralidade 

Sintetizar o discurso escutado a partir do registo de informação relevante quanto ao tema e à estrutura. 

Produzir textos adequados à situação de comunicação, com correção e propriedade lexical. 

Utilizar de modo apropriado processos como retoma, resumo e explicitação no uso da palavra em contextos formais.  

Recorrer a processos de planificação e de avaliação de textos para melhoria dos discursos orais a realizar. 

Leitura 

Ler em suportes variados textos de diferentes graus de complexidade dos géneros seguintes: exposição sobre um tema e apreciação crítica.  

Realizar leitura crítica e autónoma. 

Analisar a organização interna e externa do texto.  

Clarificar tema (s), ideias principais, pontos de vista.  

Analisar os recursos utilizados para a construção do sentido do texto. 

Interpretar o sentido global do texto e a intencionalidade comunicativa com base em inferências devidamente justificadas. Utilizar métodos de trabalho científico no registo e tratamento da informação. 

Educação Literária 

Interpretar textos literários portugueses de diferentes autores e géneros, produzidos entre os séculos XII e XVI. . 

Contextualizar textos literários portugueses anteriores ao século XVII em função de marcos históricos e culturais.  

Relacionar características formais do texto poético com a construção de sentido. 

Comparar textos em função de temas, ideias e valores.  

Reconhecer valores culturais, éticos e estéticos presentes nos textos.  

Desenvolver um projeto de leitura que revele pensamento crítico e criativo, a apresentar publicamente em suportes variados. 

Temas

A apreciação crítica.

Aula
13
Para poder assistir a aulas anteriores, deve entrar em https://www.rtp.pt/play/estudoemcasa/anos-de-escolaridade e escolher o ano de escolaridade e a disciplina.


Atividades e Recursos Complementares
A apreciação crítica
A apreciação crítica.
Aulas
Poesia trovadoresca
A poesia trovadoresca: cantiga de amigo
A poesia trovadoresca- cantiga de amigo
A poesia trovadoresca- cantiga de amigo História da língua
A poesia trovadoresca - cantiga de amor
A poesia trovadoresca- cantiga de amigo História da língua
Fonética e fonologia. Etimologia
Cantigas de escárnio e maldizer.
Contextualização histórico-literária: Fernão Lopes
Capítulo XI da "Crónica de D. João I", de Fernão Lopes. Arcaísmos e neologismos
Capítulo 115 da Crónica de D. João I, de Fernão Lopes
Capítulo 148 da Crónica de D. João I, de Fernão Lopes
A apreciação crítica
Introdução ao texto dramático e ao espetáculo teatro, com Jorge Silva
Gil Vicente: a obra e o contexto histórico-cultural
Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente: a sequência inicial. O género da farsa
Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente: a representação do quotidiano e o casamento
Farsa de Inês Pereira: o pedido de casamento de Pero Marques. Tipos de cómico
Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente
“A farsa de Inês Pereira”
Farsa de Inês Pereira. O segundo casamento de Inês
Farsa de Inês Pereira: a cena final
Auto da Feira, de Gil Vicente (1)
Auto da Feira, de Gil Vicente (2)
Auto da Feira, de Gil Vicente (3)
Orações coordenadas e orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adjetivas e substantiva
Introdução à lírica de Camões. O contexto histórico-literário
O tema do amor na lírica de Camões: "Descalça vai para a fonte" e "Sete anos de pastor Jacob servia"
O amor na lírica de Camões: “Amor é fogo que arde” e “Está lascivo e doce passarinho”
O retrato da mulher na lírica de Camões: "Ondados fios d´ouro reluzente " e "Endechas a Bárbora escrava"
O tema do amor na lírica de Camões: "Como quando do mar tempestuoso" e "O céu, a terra, o vento sossegado..."
A Natureza na poesia de Camões: “Verdes são os campos” e “A fermosura desta fresca serra”
Camões: Reflexão sobre a vida pessoal na lírica de Camões. “Erros meus, má fortuna, amor ardente" e “De que me serve fugir”
O desconcerto do mundo na lírica de Camões:" Esparsa sua ao desconcerto do mundo"; " O dia em que nasci moura e pereça"
“Camões – Rimas”. A mudança
“Camões – Rimas”. O amor